Home > Ciência e Saúde > “Setembro Verde”, mês que marca a Campanha Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes

“Setembro Verde”, mês que marca a Campanha Nacional da Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes

Setembro é o mês que marca a Campanha Nacional para a Doação de Órgãos e Tecidos, também chamado de Setembro Verde, idealizado pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO). Em Sergipe, a campanha este ano terá o tema ” Doação de Órgãos – Esperança Para os Que Não Tem”, e será lançada no próximo dia 12, com o objetivo de conscientizar cidadãos de Sergipe e de todo o Brasil, além de ser alusivo ao Dia Nacional de Doação de Órgãos, comemorado em 27 de setembro.

De acordo com coordenador da Central de Transplantes em Sergipe, Benito Fernandez, Sergipe está acima da média nacional no que se refere a identificação de potenciais doadores. ” Nós estamos muito além do que o país já vem preconizando”, disse.

Segundo o coordenador, o foco da campanha este ano será a família. Para ele, se faz necessário informar a família o desejo de ser um doador, ressaltou Benito acrescentando ainda que atualmente o Estado de Sergipe conta com uma lista de espera de 186 pessoas aguardando a doação de córnea, com tempo médio de espera de nove meses.

Dificuldades

Benito Fernadez ressaltou que a dificuldade está na autorização da família para a realização do transplante. Ele explicou que mesmo constando na documentação do falecido, os cônjugues ou parentes até segundo grau precisam autorizar.

 ” A doação de órgão é um ato de cidadania, é um ato solidariedade, é um ato de amor. Apesar de ser um momento familiar difícil, é nesse momento de perda, que é possível beneficiar outras pessoas que estão sofrendo com a esperança de uma vida melhor, ou mesmo de continuar a viver”.

 Ainda de acordo com o coordenador da Central de Transplantes, há dois tipos de doadores: vivo e falecido. “O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, pâncreas ou pulmão, ou a medula óssea. O doador falecido em morte encefálica pode ter os órgãos transplantados se a família autorizar. E o doador falecido com coração parado que pode doar as córneas, até seis horas depois da parada cardíaca”, enfatizou Benito Fernandez.

Transplantes e Doação

 Segundo informações da Central de Transplantes em Sergipe, em 2015 foram registrados 83 doadores de órgãos, sendo que seis múltiplos órgãos, 76 de córneas, um transplante renal. Esse ano, até o mês de agosto, 186 pessoas esperam por um transplante.

Programação

Durante o mês de setembro, haverá diversas programações relacionadas à data. A Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), é parceira nessa causa, juntamente com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), Prefeitura de Aracaju, Universidade Tiradentes (UNIT), irão disponibilizar seus respectivos órgãos e pontos turísticos para a iluminação na cor verde, simbolizando esperança.

No dia 12 , às 19h, acontece o lançamento oficial da campanha estadual, na Colina do Santo Antônio, que será iluminada com a cor verde;
No dia 24, 1ª Jornanada de Doação de Transplante, no auditório do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE).

Fonte: Agência Alese de Notícias





Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve cadastrar seus dados e aguardar moderação. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.