Home > Ciência e Saúde > Quem é calvo por natureza hoje recupera o cabelo

Quem é calvo por natureza hoje recupera o cabelo

A preocupação com a queda dos cabelos já não é de hoje, o grande imperador Júlio Cesar tinha como hábito diário usar uma coroa de louros para esconder a calvície, além das poções medicinais preparadas por Cleópatra. Embora o cabelo não seja fundamental para sobrevivência humana, a sua integridade se reflete fortemente no padrão cultural dos dias de hoje, principalmente sob a ótica social, estética e psicológica, influenciando, definitivamente, na autoestima do paciente calvo.

A calvície masculina (tecnicamente chamada de alopecia androgenética) é o tipo mais comum de perda de cabelo e representa o diagnóstico primário na maioria dos candidatos a um transplante capilar. Calvície é uma queda de cabelos produzida pela ação dos andrógenos (testosterona) circulantes. É uma deficiência de cabelos geneticamente determinada. É condicionada por um gene autossômico com padrão fenotípico influenciado pelo sexo, sendo dominante no homem e recessivo nas mulheres. A calvície não é um processo agudo de queda repentina dos cabelos.  O que realmente ocorre é a miniaturização progressiva dos fios, ou seja, a transformação de fios grossos em fios finos e cada vez mais curtos. Inicia-se na região das têmporas (“entradas”), e evolui acometendo toda superfície do couro cabeludo até a coroa (vertex). Os hormônios são fundamentais no desenvolvimento da calvície. Entretanto, os estudos sempre demonstraram que os níveis de testosterona dos calvos são os mesmos dos não calvos.

As primeiras cirurgias para restauração capilar surgiram no oriente nas décadas de 30 e 40. No entanto, foi com Norman Orentreich ,nos anos 50, publicou uma técnica rudimentar para transplantar cabelos. Essa técnica consistia na retirada de “rodelas” de cabelo, de aproximadamente 4 mm da área doadora, com um instrumento chamado “punch”. Na área calva, estas mesmas “rodelas” eram retiradas e preenchidas pelas que haviam sido colhidas da área doadora. Surgia aí o transplante capilar, o qual apesar de revolucionário para a época culminava em resultados estéticos sofríveis, pois se transplantavam tufos de cabelos que continham até 20 fios de cabelos cada um e, no final, o que se tinha era um resultado artificial que ficou conhecido como “cabelos de boneca”.
Com o passar dos anos houve uma grande evolução nas técnicas da cirurgia de calvície, na busca sempre de resultados cada vez mais naturais e harmoniosos. Atualmente, a Técnica das Unidades foliculares é considerada o “estado da arte” em transplante capilar, consiste em unidades contendo de 1 a 4 fios de cabelo, respeitando a forma como são removidas da área doadora e, dessa forma, redistribuídas na área calva.  É a técnica mais refinada e que nos permite resultados naturais e a criação de linhas frontais muito naturais e estilizadas, ao contrário de técnicas mais antigas. Dessa forma, colocou-se um fim nos tão temidos “cabelos de boneca”.

Essa técnica exige pessoas treinadas e microscópios específicos para esse tipo de cirurgia, normalmente uma sessão dura em torno de 6 horas e são implantados em média 6 a 7 mil fios, dependendo da área doadora do paciente, pois os fios são retirados do próprio paciente. A grande vantagem dessa cirurgia é que esses fios implantados não sofrem ação hormonal, ou seja, nunca mais caem. Eles crescem em média 0,6 cm por mês e podem passar por processos químicos, tão comuns hoje, como alisamento e tintura.
A cirurgia é realizada com anestesia local associada a uma sedação assistida pelo anestesista, o paciente dorme durante todo o procedimento. Algumas horas após o término da cirurgia o paciente estará apto a retornar ao seu domicílio. E em relação à dor no pós-operatório é praticamente inexistente. O retorno as suas atividades diárias ocorre em média após 3 dias da cirurgia.

A possibilidade de mais etapas cirúrgicas existe e deve ser sempre aventada ao paciente, principalmente nas calvícies mais extensas e naqueles com desejo de muito preenchimento. Lembrar que o cabelo transplantado começa a crescer a partir do segundo mês, atingindo um resultado final após um ano.

A moderna cirurgia de calvície conseguiu contradizer até Shakespeare, que hoje não diria: “Quem é calvo por natureza em tempo nenhum recupera o cabelo”

Dr. Ricardo Araújo

Empresário, fundador do Portal Se360, com grande experiência na área de assessoria de comunicação social.
Pai, filho, marido e servo.





Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve cadastrar seus dados e aguardar moderação. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.