Home > Capital e Interior > Ação educativa promove conscientização sobre doação de sangue em Capela

Ação educativa promove conscientização sobre doação de sangue em Capela

Uma palestra sobre a importância da doação de sangue, os mitos e verdades integrou as ações, coordenadas pelo Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), relativas ao Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado em 25 de novembro. A atividade educativa foi realizada no Centro de Saúde Familiar Dr. Geraldo Luiz da Souza Mota, no município de Capela, distante 69 Km de Aracaju.

Na recepção da unidade de saúde, enfermeiros, agentes comunitários e estudantes do Colégio Universo Santa Maria receberam orientações sobre critérios para doação de sangue  e o público que necessita de transfusão sanguínea. Outro ponto abordado pela enfermeira Darcyanna Lisboa foi a redução da idade mínima para ser um doador de 18 para 16 anos, como um dos critérios do Ministério da Saúde (MS) para atrair o público juvenil.

A secretária de saúde do município e doadora de sangue, Sônia Penalva, também incentiva o gesto. “Esse é um momento importante para falar sobre o tema e para educar os jovens capelenses. A prefeitura apoia o serviço incentivando o ato e disponibilizando um ônibus para as pessoas interessadas em conhecer o Hemose e aquelas que já são doadoras poderão colaborar com o serviço de doação e cadastro de medula óssea”, destacou.

José Luciano Andrade, assistente administrativo da Prefeitura de Capela e presidente do Conselho Municipal de Saúde, também apoia a doação. Ele explicou que a palestra com a participação de vários públicos ajuda na mobilização para campanha com os voluntários do município. “Os alunos ficaram entusiasmados, fizeram perguntas e as dúvidas foram esclarecidas. Esse foi um momento de conscientização e preparação, para que no futuro eles saibam da importância que tem esse serviço e possam se tornar doadores de sangue”, frisou.

De acordo com a gerente de captação de doadores do Hemose, Rozeli Dantas, ao longo do mês de novembro foram realizadas diversas ações descentralizadas como palestras, apresentações de vídeos e distribuição de material gráfico com informações sobre os serviços de doação de sangue e o cadastro de medula óssea.

“Este ano focamos os trabalhos em atividades educativas que visam a preparação da população sobre a importância da doação com regularidade, ou seja, os homens podem doar a cada dois meses, não excedendo quatro doações e mulheres a cada três meses, com limite máximo de três doação em um ano”, detalhou.

Doações regulares

Segundo dados do serviço de janeiro a outubro deste ano, foram registrados 21.167 doações de sangue. Deste total, 63,4% foram doações de reposição. Esse tipo de doação é oriunda de voluntários que doam sangue motivados apenas pelo apelo das famílias de pacientes em tratamento de alguma enfermidade que requer transfusão sanguínea continuada, a exemplo das leucemias, anemias crônicas, pacientes em tratamento oncológico, renais e portadores de anemia falciforme.

“Este ano houve períodos em que num único dia coletamos 180 bolsas e no dia seguinte 70. Essa mobilização em massa não mantém o estoque abastecido”, explicou a gestora do Hemose, Rossana Maria Cahino Pereira, ao reforçar que as doações precisam ser frequentes.

Fonte: ASN





Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve cadastrar seus dados e aguardar moderação. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.